segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Como o fim do meu namoro me ensinou a superar novos términos

O que mais me admira em Freud foi sua coragem para abrir seu coração, em seus livros, e expor sua vida para seus leitores. Isso tornou seus textos muito mais interessantes e vivos. Por isso quero abrir meu coração também, para tornar-me mais perto dos meus leitores. Recentemente terminei um relacionamento muito especial para mim e, por isso, me motivei a escrever esses textos. Preciso utilizar os conselhos que eu sei em teoria e alguma prática que possuo de relacionamentos anteriores, e assim pô-los em prática. Por isso, vamos lá:

A primeira dica é: corte todos os laços.

Quem me conhece sabe o quanto eu repito isso para meus amigos que terminaram seus relacionamentos. É uma parte bastante difícil. Nas dicas do Instagram que escrevi há algum tempo, eu dei como primeiro passo "tomar uma decisão definitiva". Acho que, nesse ponto, eu me equivoquei. Não existem decisões definitivas. Por isso, é importante que, caso você esteja realmente disposto a terminar, é preciso cortar os laços - e isso significa apagar fotos, cortar o contato e parar de falar na sua/seu ex-namorado por um tempo.

Cortar os laços é perder o contato de maneira temporária. Você precisa "respirar" a vida sem o outro. Enquanto você estiver cercada de informações de seu ex, dificilmente irá conseguir superar. É a mesma coisa de você estar fazendo uma dieta e passar o dia vendo fotos de comidas deliciosas: isso não irá funcionar.

A primeira coisa que eu fiz foi justamente essa (guardar as fotos e cartas em um local inacessível) e foi a decisão mais dolorosa para mim: apagar fotos dela, sumir com informações que me lembrassem dela... É difícil, mas é importante. Gostava muito dela como pessoa e continuarei a gostar, mas sei que atualmente não é o momento para sermos amigos. Talvez, depois.

Mas eu não quero perder a amizade que conquistei

Muitas pessoas que conversei e atendi diziam que se sentem com a consciência pesada a respeito de apagar fotos de namorados, pois foram momentos importantes. Se você não consegue fazer isso, eu tenho uma dica: coloque numa pasta todas as fotos e guarde-as num email que você não acessa muito. Se você acha importante guardar sua história, guarde-a em um local que você não terá acesso por um bom tempo. Se a amizade de vocês é importante, ela pode aguardar o tempo de recuperação - e vocês podem tentar uma amizade no futuro, quando você estiver recuperado(a).

Momento difícil para alguns, fácil para outros

Esse primeiro momento é o mais difícil para alguns e o mais fácil para outros. Algumas pessoas se sentem aliviadas no início do término e sofrem depois de um tempo, quando "a ficha cai". Outras se sentem muito tristes de início e, com o tempo, vão se acostumando com a ideia. São dois tipos de personalidade diferentes. Tome cuidado com isso: se você está muito eufórico e animado no começo do término, prepare-se para o momento em que você irá "digerir" a informação. Caso você esteja extremamente triste, lembre-se que isso é uma fase importante para seu amadurecimento. A dor é, muitas vezes, necessária para a evolução emocional.

Sinto que eu sou mais de sentir depois de um tempo, mas a dor vem, uma hora ela vem, sim (e essa é a grande lição). Ao tomarmos a decisão, não senti nada. Só que o sofrimento veio com o tempo, aos poucos. Percebi, então, que eu fazia parte do segundo tipo de personalidade. Eu preciso de mais tempo para processar a informação - mas que quando ela é processada, todo o sofrimento ocorre e por isso eu preciso estar preparado.

Dê um tempo para si mesmo

A primeira coisa que eu fiz ao "saber da notícia" foi correr para fazer outras coisas, para me distrair. Isso funcionou por um tempo certo, mas a mente precisa processar a informação também. Por ser algo doloroso, muitas vezes nosso cérebro manda as informações como um conta gotas, lentamente, vamos descobrindo que aquilo tudo que vivemos juntos foi ficando para trás e começou a se perder. Nesse momento surge a angústia - como surgiu em mim - e é preciso controlá-la da maneira que for possível. Quando não é possível, recomendo ficar quieto por um tempo, aguardar passar a vontade. Ela passa, eu sei que passa.

Ela/ele foram especiais, mas agora é preciso cuidar de si

Minha ex-namorada é uma das pessoas mais especiais que já conheci. Não posso negar e nem esconder isso. Mas agora não é o momento para ficar pensando nisso. Logo quando termina-se um relacionamento, ocorre das duas uma: ou ficamos pensando apenas nas coisas ruins ou apenas lembranças boas surgem. Este momento é perigoso, porque ou você sente um rancor não-saudável pelo outro ou você desenvolve uma saudade angustiante. Por isso, a dica é que você deixe de lado, momentaneamente, a ideia de que ela/ele foi especial. Sim, isso é verdade, mas mais especial que seu ex é você mesmo.

Tenha paciência

É difícil e ninguém nega isso. Mas também é possível que seja menos doloroso do que você acha. Saiba esperar. Saiba não telefonar no momento errado. Saiba se controlar. Se segure. Respeite o seu momento e o dela. Perder alguém amado é um dos piores sentimentos que um indivíduo pode sentir (pior, em alguns casos, do que perder, por morte, um ente querido), mas é um sentimento que dura muito menos que imaginamos. E se você direcionar sua vida para novas experiências, para si mesmo, para se sentir melhor, saiba, com certeza, que sua recuperação será a melhor possível e você se sentirá muito melhor depois de tudo isso. 

Chegou o momento de se cuidar e se recuperar. Preparados? Estou com vocês...

[Obs.: Nos próximos textos irei apresentar novas dicas, inclusive de dificuldades que eu estou passando. se vocês tiverem dicas ou questionamentos, fiquem a vontade. Estou estudando - novamente - o assunto e espero trazer soluções inteligentes para que todos fiquem bem da melhor forma possível]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...