sábado, 3 de setembro de 2016

Por que sempre temos candidatos com menos de 1% de intenção de votos?

Em Teresina, recentemente saiu uma pesquisa do Ibope que deu 1% ou menos para vários candidatos como Quem-Quem (PTN), Everton Diego (PSOL), Lourdes Melo (PCO) e Luciane Santos (PSTU). Alguns nomes são figurinhas repetidas em todas as eleições da capital, outros são novidades, enquanto o que se repete são os seus partidos: PSTU, PCO e outros estão sempre por aí, com seus candidatos desconhecidos e sem nenhuma expressão eleitoral.

Mas, por que esses candidatos e partidos estão sempre se candidatando?

Um dos motivos é o fundo partidário, uma reserva de dinheiro público destinada a todos os partidos. Segundo o site do TSE, a distribuição para 2016 para o PSTU será de cerca de R$ 200 mil, para o PCO, R$ 95 mil; para o PTN, R$ 522 mil; e para o PSOL, R$ 1 milhão e 135 mil ! Isso não é só uma vez: são pagamentos mensais para os partidos políticos do Brasil.

Ter um partido, seja lá qual for a significância dele para a população, é um negócio extremamente lucrativo, considerando que tais partidos não fazem absolutamente nada fora do período eleitoral, além de receber mais fundo partidário (que vem do dinheiro público).

Quando você pensar que falta dinheiro para educação, saúde e segurança, pense que você, através de seus impostos (pagos desde que você compra um bombom, gasolina para seu carro ou recebe o seu salário), está sendo usado para sustentar pessoas que fazem demagogia barata no horário eleitoral para depois tirar menos de 1% dos votos.

Eles fazem parte da educação cultural esquerdista

Por outro lado, partidos sem nenhuma margem de vitória, mas ideologicamente fortes (como os comunistas, socialistas e vários outros istas), diferentemente dos grandes partidos que precisam fazer alianças por conveniência (o PT é aliado do PSDB em mais de 700 cidades no Brasil), podem falar e defender o que quiserem. Eles são a expressão mais intensa da ideologia política dos partidos de esquerda.

Como a Lourdes Melo, que há anos se candidata em Teresina, não irá ganhar absolutamente nenhuma eleição em sua vida, ela pode, como professora, injetar ideologias políticas em seus alunos de maneira livre - com o apoio dos grandes partidos, como o PT, que sustentam esses nanicos.

Não é à toa que membros de partidos como PSTU, que sempre ficam na margem de menos de 1% dos votos, dominam sindicatos, DCEs, faculdades e diversos cursos universitários. Eles estão sempre por perto da educação, justamente para sustentar, culturalmente os partidos grandes - e não tão fieis assim às ideologias, mas que necessitam delas - criando futuros eleitores.

O economista Milton Friedman explica, em seu livro "Livre para Escolher", como o Partido Socialista, desde o início do século XX, sempre teve candidatos com baixíssimas porcentagens de votos e, mesmo assim, era provavelmente o partido mais influente dos Estados Unidos, justamente porque o seu foco não era ser eleito, mas ter poder sobre cursos universitários para educar, ideologicamente, as crianças, jovens e adultos que um dia votarão nos partidos com reais chances de vitória.

E você, quer ser mais uma massa de manobra dos nanicos? Um idiota útil (o ignorante que não entende o quanto é controlado)?

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...