terça-feira, 19 de maio de 2015

Mitos e verdades sobre hipnose

A hipnose é rodeada de diversos mitos que podem atrapalhar a procura de algumas pessoas por seus benefícios. Acredito que dois fatores foram cruciais para a propagação desses mitos: a ignorância de profissionais da área mental que, mesmo sem conhecer ou terem estudado nada a respeito da hipnose, comentam suas "opiniões"; segundo é a própria história da hipnose, cheia de mistérios e misticismos desnecessários, muitas vezes criadas pelos hipnotizadores antigos.

Abaixo, uma pequena lista de mitos e suas explicações:

A hipnose é perigosa: assim como um pedreiro que não constrói direito uma casa ou um psicólogo que causa mais dano do que benefício para seu paciente, a hipnose, como qualquer técnica, exige habilidade, estudo e estudo - até uma conversa com amigos pode deixar a pessoa mal. Entretanto, diferente do que pensam, NINGUÉM FICA PRESO NA HIPNOSE, não existe isso de entrar em transe e nunca voltar. Mas, como foi dito, é de extrema importância a competência do hipnotizador.

Depois de um tempo, as mudanças feitas sob hipnose voltam para pessoa: existe a história de uma mulher que foi a um hipnotizador para parar de fumar e um ano depois voltou reclamando: "Eu voltei a fumar depois de um ano, sua hipnose não funcionou". E o hipnotizador respondeu: "Mas a hipnose funcionou por um ano!" Não existem mudanças de comportamento eternas. Mesmo quando você está doente e o médico lhe passa um remédio, existe a possibilidade da doença voltar com o tempo. Se você vive em um ambiente doentio, os comportamentos gerados nesse ambiente podem retornar pois você está sendo influenciado pelo seu ambiente, por isso eu ensino duas coisas aos meus pacientes: auto-hipnose para se tornarem independentes do meu atendimento e como mudar seus ambientes para que se tornem mais saudáveis e motivadores;

Hipnose só trata os sintomas e não as causas: existem diversas formas de abordar um problema e eu mesmo aconselho a tratar, inicialmente, os sintomas antes das causas - assim como um médico receita um analgésico para dor antes de analisar os motivos da dor (o cliente precisa recuperar sua qualidade de vida). Mas a busca pelas causas - e a eliminação dessas causas - é uma parte importante da terapia com hipnose;

Eu me mantive consciente durante a hipnose, então não funcionou: hipnose não é estar inconsciente (isso depende de cada pessoa), hipnose é apenas uma forma extremamente eficiente de dar instruções para uma pessoa melhorar seus comportamentos;

É impossível me hipnotizar: como dito acima, hipnose é dar instruções eficientes para uma pessoa, se você não deseja receber essas instruções, então você não as receberá, hipnose não é forçar uma pessoa a fazer o que ela não quer;

A hipnose tira a liberdade da pessoa: uma pessoa hipnotizada se mantem consciente de suas atitudes e controla boa parte da sessão - a maioria das pessoas relatam que o hipnotizador é visto mais como um guia pelos caminhos da sua imaginação do que como um mestre a dar ordens;

Enfim, hipnose não é do diabo, a pessoa hipnotizada não fica sob o controle absoluto do hipnotizador e ninguém nunca ficou preso no transe. Hipnose é uma forma de modificação do comportamento extremamente rápida e eficaz. Experimente!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...