terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Alienação: quando o meu mundo é o único mundo possível

Alienação é um estado em que as crenças próprias são a única base em que uma pessoa compreende o mundo ao seu redor - tornando-se inaceitável qualquer outra visão ou ponto de vista.

The Mind Storm by David Craig
Mas, afinal, não entendemos o mundo apenas sob as perspectivas de nossas crenças? Sim e não. É claro que somos limitados ao nosso conhecimento e este limita nossa visão de mundo ("Conhecerás a verdade e a verdade nos libertará"), mas a alienação toma forma quando desenvolve-se uma repulsa total para qualquer crença diferente da nossa.

Imagine um religioso fundamentalista, um comunista extremista ou simplesmente uma pessoa muito apaixonada (por uma pessoa ou pelo seu trabalho ou o que seja): os parâmetros que essas pessoas irão medir o mundo serão simplesmente os seus, não aceitando como possibilidades outras visões de mundo.

Segundo Silvia Lane, em seu trabalho "Consciência/alienação: a ideologia no nível individual":

A alienação se caracteriza, ontologicamente, pela atribuição de “naturalidade” aos fatos sociais; esta inversão do humano, do social, do histórico, como manifestação da natureza, faz com que todo conhecimento seja avaliado em termos de verdadeiro ou falso e de universal; neste processo a “consciência” é reificada, negando-se como processo, ou seja, mantendo a alienação com relação ao que ele é como pessoa e, consequentemente, ao que ele é socialmente

Todo conhecimento sendo avaliado como "verdadeiro ou falso e de universal", o alienado começa a rotular o mundo ao seu redor e a considerar como um traidor ou inferior todas as pessoas que não se submete aos seus termos e rotulações - e o mundinho do alienado cabendo na palma de sua minúscula mão.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...